Atenção;Este site contém cenas violentas inadequadas para menores de 18 anos e pessoas sensíveis Aqui assuntos policiais são tratados da mais real maneira possível

APÓS EDUARDO CAMPOS,BRASIL PERDE MAIS UM LÍDER POLÍTICO EM TRÁGICO ACIDENTE

FORÇA POLICIAL | 12:11 |

O parlamentar sofreu um acidente automobilístico no dia 10 de agosto, Dia dos Pais
Boletim Médico – Glauber Coelho Publicado em 20 de agosto de 2014, às 16h15 Lamentamos informar que às 15h desta quarta-feira foi realizada a arteriografia cerebral sendo confirmada a morte cerebral do deputado estadual Glauber Coelho. Assim sendo, foi iniciado o protocolo para doção de órgãos, conforme desejo previamente manifestado pelo próprio Glauber e confirmado pelos seus familiares. Dr. Marlus Thompson Chefe CTI Geral
Vítima de um acidente no dia 10 de agosto, o deputado Glauber Coelho (PSB), que estava internado em estado grave, morreu na manhã desta quarta-feira (20). A informação é da assessoria de imprensa do parlamentar. Na segunda-feira (18), os médicos haviam retirado os sedativos parlamentar. No entanto, não houve mudanças no quadro neurológico e suas funções vitais permaneciam estáveis. Na Assembleia Legislativa, o falecimento de Glauber foi informado pelo deputado Theodorico Ferraço (DEM), durante a sessão ordinária.
Coelho estava em seu primeiro mandato parlamentar e era candidato à reeleição. A família decidiu doar os órgãos do deputado. O velório e enterro de Glauber serão realizados em Cachoeiro de Itapemirim. O horário ainda será definido.O acidente aconteceu no dia 10, por volta das 12h na localidade de Pacotuba, na Rodovia ES 482, que liga Cachoeiro de Itapemirim a Alegre, no Sul do Estado.
Testemunhas contaram que a batida teria sido provocada por uma ultrapassagem – permitida naquele trecho da via –, feita pelo deputado, que guiava o carro. Outros dois veículos se envolveram no acidente. Atuação pública Glauber Coelho foi eleito deputado estadual em 2010, com 23.040 votos. Em seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa, era o 2º vice-presidente da Mesa Diretora, membro efetivo das comissões de Saúde, Agricultura e Meio Ambiente e vice-presidente da Frente Parlamentar de Apoio à Educação no Campo.
Na Assembleia, também assumiu a 2ª Secretaria da Mesa Diretora, presidiu a Frente Parlamentar Saúde para Todos, que percorreu o Estado para avaliar as dificuldades enfrentadas pelos pacientes e gestores dos hospitais e postos de saúde, e foi membro da CPI da Telefonia. O parlamentar se dedicou a projetos de impacto social, como a lei que regulamenta o descarte de lixo tecnológico no Estado e a obrigatoriedade do uso de pulseiras de identificação em pacientes das redes privada e filantrópica.
Além disso, atuou em várias frentes propondo ações em áreas como saúde, educação, segurança, saneamento básico, habitação, agricultura e meio ambiente. Com atuação destacada no sul do Estado, Glauber Coelho realizou importantes parcerias como a feita com a Defensoria Pública Estadual, que teve como objetivo levar atendimento gratuito nas mais diversas áreas do Direito para a população da região do Caparaó, no sul do Estado.
Perfil Glauber da Silva Coelho, 40 anos, nasceu em Cachoeiro de Itapemirim, filho de José Affonso Coelho e Vilma da Silva Coelho; era casado com Fernanda Aguilar Coelho e tinha uma filha de dois anos e três meses. Evangélico, era membro da Primeira Igreja Presbiteriana de Cachoeiro de Itapemirim. Formado em Direito, Glauber Coelho era pós-graduado em Gestão Pública e foi por três vezes vereador em Cachoeiro de Itapemirim. Dos seus 40 anos, 15 foram dedicados à política. Em 2000, foi eleito com 1.252 votos; em 2004, com 2.011 votos; e em 2008, com 4.060. Além de vereador, foi secretário municipal de cinco pastas em Cachoeiro: Saúde; Criança, Adolescente e Juventude; Agricultura; Defesa Civil e Meio Ambiente.
Fonte;Revista Leia/Fotos Gazeta Online

Veja Outras Matérias Abaixo:

Seja Profissional Indique Á Fonte Correta; :
Plágio é crime,Veja;No campo penal: “Art. 184. Violar direitos de autor e os que lhe são conexos: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). § 1o Se a violação consistir em reprodução total ou parcial, com intuito de lucro direto ou indireto, por qualquer meio ou processo, de obra intelectual, interpretação, execução ou fonograma, sem autorização expressa do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor, conforme o caso, ou de quem os represente: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). Pena - reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003)”.Fonte;Portal A Desgraça