Atenção;Este site contém cenas violentas inadequadas para menores de 18 anos e pessoas sensíveis Aqui assuntos policiais são tratados da mais real maneira possível

MÃE QUE MATOU O FILHO E CORTOU AO MEIO DANDO PARA URUBUS COMER CONTINUA PRESA

Unknown | 22:37 |

                        A jovem Ana Paula Bastos, 18 anos, acusada de cortar ao meio o filho recém-nascido, foi submetida na tarde desta sexta-feira (23) a exames psicológicos no Centro de Apoio Psicossocial (Caps) do município de Esperantina.Segundo o delegado Lucas Craveiro, a jovem, durante depoimento confessou, que tentou esconder a gravidez por medo da família. “Ela disse que o pai dela não aceitava a gravidez.
Ela também declarou que tinha dúvidas sobre a paternidade da criança”, relatou. O resultado dos exames realizados deve sair a qualquer momento, segundo Lucas Craveiro. “Acredito que possa ser solicitada a realização de novos exames em Teresina, mas independente do resultado de hoje, ela permanecerá presa para que possamos resguardar sua integridade física”, informou.                   Entenda o caso Ana Paula Bastos foi presa nesta sexta-feira (23) acusada de ter cortado ao meio, com uma faca de cozinha, seu bebê recém-nascido, e ainda arremessado o corpo pelo muro no bairro Morro da Onça em Esperantina.                  Apenas uma parte do corpo do recém-nascido foi encontrada por populares, no terreno que pertence a uma capela. A polícia suspeita que a outra parte tenha sido devorada por urubus. Caso seja confirmado que a jovem agiu em função de problemas psíquicos, ela poderá responder por infanticídio. Mas caso comprovado que praticou o crime apenas por crueldade, será autuada por homicídio.

Veja Outras Matérias Abaixo:

Seja Profissional Indique Á Fonte Correta; :
Plágio é crime,Veja;No campo penal: “Art. 184. Violar direitos de autor e os que lhe são conexos: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). § 1o Se a violação consistir em reprodução total ou parcial, com intuito de lucro direto ou indireto, por qualquer meio ou processo, de obra intelectual, interpretação, execução ou fonograma, sem autorização expressa do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor, conforme o caso, ou de quem os represente: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). Pena - reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003)”.Fonte;Portal A Desgraça