Atenção;Este site contém cenas violentas inadequadas para menores de 18 anos e pessoas sensíveis Aqui assuntos policiais são tratados da mais real maneira possível

GRÁVIDA NÃO ACHA VAGA EM HOSPITAL E TEM FILHO DENTRO DE CARRO

FORÇA POLICIAL | 09:00 |

Após não achar vaga em hospital, uma mulher teve o filho dentro do carro do vizinho na cidade de Feira de Santana, a 100 km de Salvador. A dona de casa Alessandra dos Santos Rodrigues entrou em trabalho de parto por volta das 6h de quarta-feira (20), quando o marido, Dermival Santos, pediu uma carona ao vizinho para levá-la ao Hospital Clériston Andrade.
Ao chegar no local, a unidade de saúde não tinha vaga e a gestante seguiu para um outro hospital da região. Porém, ao passar pela Avenida João Durval, uma das mais movimentadas de Feira de Santana, a mulher não aguentou esperar e teve o filho dentro do carro. "Nunca pensei que iria acontecer algo assim, mas graças a Deus deu tudo certo e agora a mãe está de parabéns. À equipe do Samu eu agradeço mais uma vez, foi muito rápida", disse o vizinho de Alessandra, Gerônimo Costa, que registrou o momento do parto.A dona de casa contou também com ajuda de Hélio Ferreira, dono de um salão de beleza que fica na avenida. "O pai estava muito nervoso, muito mesmo. Ele atravessou a pista correndo e não sabia o que fazer. Estava desesperado. Aí ele pediu para ligar para o Samu e eu chamei rapidamente", contou o cabeleireiro. Uma ambulância do Samu chegou logo após o parto e levou mãe e a criança, um menino, para uma maternidade da cidade. Os dois passam bem, mas ainda não têm previsão de alta. A criança, que ganhou o nome de Miguel, nasceu com 2,860 kg e 49 cm. O bebê é quarto filho do casal. A direção do Hospital Clériston Andrade disse que o hospital só faz partos de alto risco e que neste caso ela deveria ter procurado outro unidade de saúde. G1 Bahia

Veja Outras Matérias Abaixo:

Seja Profissional Indique Á Fonte Correta; :
Plágio é crime,Veja;No campo penal: “Art. 184. Violar direitos de autor e os que lhe são conexos: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). § 1o Se a violação consistir em reprodução total ou parcial, com intuito de lucro direto ou indireto, por qualquer meio ou processo, de obra intelectual, interpretação, execução ou fonograma, sem autorização expressa do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor, conforme o caso, ou de quem os represente: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). Pena - reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003)”.Fonte;Portal A Desgraça