Atenção;Este site contém cenas violentas inadequadas para menores de 18 anos e pessoas sensíveis Aqui assuntos policiais são tratados da mais real maneira possível

IDOSO MANDA "ALEIJAR" VETERINÁRIO,MAIS OS CRIMINOSOS TERMINAM MATANDO

FORÇA POLICIAL | 16:00 |

Um cachorro na vida de um casal que não se entende resultou em mais um crime. Ele, apegado ao animal. Ela, ansiosa para se livrar dele. A saída que a mulher encontrou foi dar sumiço ao cão sem o conhecimento do marido. Mas como ? Isso não ficou esclarecido até ontem, quando o desaparecimento do veterinário Fernando Augusto Souza Moura foi desvendado.
O dono do cachorro, Dorval Vieira Rodrigues, descobriu que o cão havia sido levado para a clínica do veterinário e o procurou. Começou aí um desentendimento que daria origem ao crime. Fernando se recusava dizer que fim dera ao cachorro. "Fui tomado por uma mágoa profunda", disse Dorval, entre lágrimas... Mas matar seria a saida? A mágoa e a humilhação despertam sentimentos sobre os quais a maioria das pessoas não tem domínio. O desejo de matar é um gatilho interno que pode ser disparado a qualquer momento e em qualquer lugar. E todos, sem exceção, estão sujeitos a isso. O que chama atenção nesse crime é um ódio que começou a ser semeado dentro de casa, quando o casal se desentendeu por causa do cachorro. Depois a entrada em cena do veterinário, cujo papel no sumiço do animal não foi de todo esclarecido. Nem parece ser relevante agora. Mas do episódio fica uma lição: provocar o ser humano ao limite é correr o risco de despertar monstros adormecidos.Texto Portal do holanda
A Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), por meio da Secretaria de Inteligência (SEAI), prendeu quatro homens envolvidos na morte do médico veterinário Fernando Augusto de Souza Moura. Foram presos o mandante do homicídio, o policial civil aposentado Dorval Vieira Rodrigues, de 82 anos; Zacarias Araújo Duarte, conhecido como “Timbal”, de 44 anos; Evandro Souza dos Santos, de 40, e José Bernardo de Oliveira, também conhecido como “Zé Canoeiro” ou “Zé Pirarucu”, de 61 anos. O investigador aposentado disse que encomendou o crime por vingança, porque o veterinário teria sumido com o cachorro, dado ao veterinário pela mulher dele, há cerca de um ano. Dorval Rodrigues chegou a chorar ao falar do animal. Segundo Dorval, o combinado não era matar o médico e, sim, deixá-lo em uma cadeira de rodas. O autor do disparo que matou o veterinário, Zé Canoeiro, disse que está arrependido do que fez. A SEAI começou as investigações assim que foi procurada pela família da vítima. Imagens do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), do momento em que o veterinário Fernando Augusto chega à orla do Amarelinho, no bairro Educandos, zona Sul, no último sábado (23), também ajudaram os investigadores. Ele foi acionado para fazer um atendimento do outro lado do rio, pelo que receberia R$ 150 . De acordo com o secretário de Inteligência da SSP-AM,, Thomaz Vasconcelos, a secretaria conseguiu chegar a todos os envolvidos no crime, por meio de Zé Canoeiro. O policial aposentado teria pago R$ 10 mil pela execução do veterinário. Segundo o canoeiro, a ideia e todo o plano partiu de Dorval. O quinto suspeito de participar do crime ainda está sendo procurado. Trata-se de Jardel Brito da Silva, conhecido como “Vovô”, de 29 anos. Segundo o secretário de Inteligência, a arma do crime ainda não foi encontrada. O revólver teria sido jogado no rio. Os R$10 mil pagos pela execução do veterinário foram gastos pelos acusados. Eles vão responder pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil.


Veja Outras Matérias Abaixo:

Seja Profissional Indique Á Fonte Correta; :
Plágio é crime,Veja;No campo penal: “Art. 184. Violar direitos de autor e os que lhe são conexos: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). § 1o Se a violação consistir em reprodução total ou parcial, com intuito de lucro direto ou indireto, por qualquer meio ou processo, de obra intelectual, interpretação, execução ou fonograma, sem autorização expressa do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor, conforme o caso, ou de quem os represente: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). Pena - reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003)”.Fonte;Portal A Desgraça