Atenção;Este site contém cenas violentas inadequadas para menores de 18 anos e pessoas sensíveis Aqui assuntos policiais são tratados da mais real maneira possível

PISTOLEIRO CHORA E DIZ EM DEPOIMENTO,QUE IRIA CAPAR O AMANTE DA MULHER E MATAR MAIS 3 PESSOAS

FORÇA POLICIAL | 11:05 |

Atirador diz em depoimento que iria 'capar' amante e assassinar mais 3
As imagens do depoimento de Clewilson Vieira foram divulgadas durante entrevista coletiva concedida no início da tarde desta sexta-feira (07/11) na sede da delegacia Geral de Polícia Civil do Piauí. Participaram da entrevista o delegado James Guerra, o secretário de Segurança, Luís Carlos Martins, e também o delegado de Castelo do Piauí, Laécio Evangelista, que esclareceram novos fatos sobre a chacina de São Miguel do Tapuio.
Segundo o delegado Laércio Evangelista, o assassino de cinco pessoas no município de São Miguel trata-se de alguém frio e calculista. Durante o depoimento o homem relatou como cometeu cada um dos assassinatos, e confessou que faria novas vítimas, que só foram salvas porque não foram encontradas em casa. O homem começa em seu depoimento falando sobre a briga com a sua esposa dentro de casa. Confirma que os dois se desentenderam depois que ele descobriu que ela lhe traia. Tentou com que ela falasse a verdade, mas na negativa da esposa, revoltou-se e disparou pelo menos cinco vezes. Ele não lembra quantos disparos efetuou. Depois de matar a esposa, armado com a pistola e o "oitão" (revólver calibre 38), o homem foi atrás de outros sete alvos, quatro deles, consumados. Na ordem matou o compadre Claudio - mas a intensão era matar Claudionor - o professor Roberto, o jovem Sidney e "seu Jovêncio". Perguntado pelo delegado, o homem reafirma que os outros três só escaparam porque ele não os encontrou. "Não consegui porque não achei", revela friamente diante do interrogatório feito pelos delegados Matheus Zanatta e Leandro Evangelista. "Eles queriam me sufocar, me tirar dali, me apagar do mapa", diz o homem em tom de revolta para os policiais. Ele revela o nome de mais um homem e do casal Angela e Nonato, que segundo Chiê, estariam lhe denunciando. A casa dos dois foi alvejada a tiros.O atirador confirma ainda que estava sob efeito de álcool no momento dos assassinatos. Diz que após os crimes, saiu em fuga pela mata, rumo à sede de São Miguel do Tapuio. O crime ocorreu na zona Rural, a 40 kpm da sede. "Sai no mato, deixei minha moto abandonada e sempre andava só à noite. De dia descansava", diz o homem que revela novamente o desejo de se matar. "Eu ia me entregar, só queria falar com meus pais antes de me matar".Ele nega porém o desejo de consumar outras mortes. "Não tinha mais volta, não ia voltar, não dava tempo... só queria me matar", disse. Ao chegar na cidade, tentou falar com o pai, mas foi informado que ele estava sendo vigiado, e por isso não conseguiu ir ao seu encontro. "Vi os dois lá na pescaria, pedi água e para tomar banho e fui na casa deles. Já são conhecidos meus de criança. Aí pedi para eles não falarem nada com ninguém.Clewilson diz ainda o que pensava em fazer com o amante da esposa. "Eu ia tirar as partes íntimas dele. Sobre a posse de revólveres em casa, o acusado diz que sempre foi "invocado" com armas desde pequeno. Revela que já teve a casa revistada pela polícia e se revolta ao comentar que para a população ele sempre foi acusado de tudo, principalmente assaltos. E chora ao dizer sobre os últimos momentos junto com a mulher. "Eu já tinha chamado meus pais pra dizer que ia embora, eu falei com a minha mulher, mas ela só pensava no salário, de 600 reais, não queria deixar o emprego... e eu dizendo pra ela que ia acontecer o pior", disse chorando.
ARMAMENTO APREENDIDO Na coletiva foram apresentadas as armas apreendidas com ele, uma pistola calibre 40, uma espingarda calibre 12, munições e também uma submetralhadora de fabricação israelense. A pistola que foi encontrada com ele foi a utilizada para realizar todos os assassinatos, essa pertencia a um policial de Piracuruca, no entanto, havia um Boletim de Ocorrência registrando o roubo da mesma datado de abril de 2013.O delegado Evangelista, fala que Clewilson Vieira trata-se do último integrante de uma quadrilha responsável pelo tráfico de drogas no município. A prisão de Clewilson se tornou mais complicada porque ele contou com ajuda de pelo menos duas pessoas do município. Essas de acordo com o delegado James Guerra já estão sendo investigadas e permanecem detidas na cidade de São Miguel Tapuio. De acordo com depoimento prestado à polícia, Clewilson pretendia matar oito pessoas, uma delas seria o suposto amante de sua esposa, e segundo o próprio atirador, o homem identificado como Antônio, seria castrado e sangraria até a morte. Clewilson Vieira já morava no município a pelo menos 35 anos, era também um líder comunitário. Nos últimos meses lideranças da oposição vinham lutando para tirá-lo da região, gerando então toda a fúria e desejo de vingança, o que leva a polícia a crer que todos os crimes teriam sido premeditados.A participação dele em outros crimes só veio à tona e chegou até a policia depois da chacina, segundo o delegado Evangelista. Os populares da região, inclusive os que lutavam para expulsa-lo, nunca tinham ido até a policia até a data do ocorrido. Segundo o Secretario Luís Carlos Martins, o mesmo responderá pelos crimes de assassinato e porte ilegal de armas no sistema prisional de Teresina. Investigações sobre o seu envolvimento em assaltos de bancos, lotéricas, e comércios da região também serão levantadas.
Fonte: 180 Por: Liliane Araújo

Veja Outras Matérias Abaixo:

Seja Profissional Indique Á Fonte Correta; :
Plágio é crime,Veja;No campo penal: “Art. 184. Violar direitos de autor e os que lhe são conexos: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). § 1o Se a violação consistir em reprodução total ou parcial, com intuito de lucro direto ou indireto, por qualquer meio ou processo, de obra intelectual, interpretação, execução ou fonograma, sem autorização expressa do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor, conforme o caso, ou de quem os represente: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). Pena - reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003)”.Fonte;Portal A Desgraça