Atenção;Este site contém cenas violentas inadequadas para menores de 18 anos e pessoas sensíveis Aqui assuntos policiais são tratados da mais real maneira possível

NÃO QUERO RIQUEZA,QUERO APENAS ÁGUA;VEJA A REALIDADE DE UM POVO SOFRIDO NO SERTÃO CEARENSE

FORÇA POLICIAL | 22:51 |

No dia de hoje Sábado 24/01 nossa equipe foi conhecer de perto a sobrevivência de uma população que por faltas de chuvas sofrem grande seca e falta D/água.Distante a pelo menos 110 Km chegarmos a localidade de Baliza distrito de Uruoca-Ce.
O povoado que somam no minimo 100 famílias tentam escapar e sobreviver o afastamento chuvoso dos últimos tempos deixando o rio seco com apenas as rachaduras do sol quente.Na localidade apenas uma cisterna é abastecida por um único carro-pipa que transporta água da região de Umirim para aquele povoado.A água tem que ser controlada e economizada com pelo menos 15 dias ate o próximo abastecimento. Com isso aquele povo interiorano tem que escapar como pode.A procura por água ou alguma fonte que tenha sobrado do último inverno é tão continua que moradores as vezes pernoitam de mata a dentro abeirando o rio seco ate encontrar um pouco de água.No caso de seu Antonio após dias procurando a fonte milagrosa conseguiu encontrar distante de sua residência a pelo menos 03 Km um pouco da água que ficou encalhada em uma área escondida do rio.O agricultor nos conta a sua descoberta com tanta alegria que chega a descer lagrimas nos olhos.Nossa equipe resolveu enfrentar um desafio feito pelo o agricultor de ir pessoalmente conhecer o local da mina encontrada por ele..Água..Água..Água.Devido o local ser de difícil acesso e termos que percorrer algumas trilhas,nossa equipe recebeu um rápido treinamento de irmos montados em animais Cavalos e Jumentos.Pelo o fato da minha pessoa não ter tido muita simpatia com o animal,resolvermos ir a Pé.Uma coisa que mi chamou atenção foi no dado momento em que aquele agricultor apanhou um vasilhame tipo um tambor de 25 litros para aproveitar a viagem e trazer cheio D/água em seu ombro.Durante nosso percusso eu podia ver nos olhos e na voz trémula daquele agricultor uma enorme alegria em nos mostrar sua descoberta.Ao chegarmos no local onde o Sr Antonio satisfeito sai toda madrugadinha em seu jumento para apanhar a água que para ele é muito preciosa,confesso que chorei.A primeira vista que nossa equipe se deparou foi de um conjunto de porcos Banhando,e fazendo necessidades na mesma água que é usada pelo o agricultor.Ao perguntar o agricultor qual seria sua opinião em respeito aquela situação do convívio dos porcos naquela água suja e lameada esta também servindo para ele,a resposta do agricultor foi ágil e rápida.Filho na situação que estarmos com a escassez e falta D/água,ate água salgada do mar se encontrarmos aqui vamos usar.Agora entenda a motivação que nos levou a fazer essa matéria.Enquanto muitos desperdiçam água na cidade grande,o povo do sertão queria apenas um pouco para beber.Enquanto muitos pensam em carnaval,o povo do sertão queria apenas chuvas para plantar o que comer.Enquanto muitos só pensam em si próprio,o povo do sertão manda lembranças aos seus irmãos, e dizem que também são seres humanos.Que Deus esteja no comando e ofertem com chuvas aqueles irmãos sofredores que apenas buscam os alimentos de suas famílias.













Observe o vídeo devido muito vento ficou com um problema de áudio,mais vale a pena assistir Confira os erros de gravação que não conseguimos fazer;
MAKING-OFF

Veja Outras Matérias Abaixo:

Seja Profissional Indique Á Fonte Correta; :
Plágio é crime,Veja;No campo penal: “Art. 184. Violar direitos de autor e os que lhe são conexos: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). § 1o Se a violação consistir em reprodução total ou parcial, com intuito de lucro direto ou indireto, por qualquer meio ou processo, de obra intelectual, interpretação, execução ou fonograma, sem autorização expressa do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor, conforme o caso, ou de quem os represente: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). Pena - reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003)”.Fonte;Portal A Desgraça